Resenha do livro Adams Óbvio

Capa do livro publicado pela Faro Editorial

Adams Óbvio é um daqueles livros maravilhosamente simples e rápidos. Uma hora de leitura é mais do que suficiente para terminar mas as reflexões são profundas. Escrito por Robert Updegraff em 1916, trata-se de um conto sobre O. B. Adams, um publicitário que, apesar de não ter nenhuma característica especial, construiu uma carreira de sucesso buscando a simplicidade e objetividade.

O autor ilustra neste conto como o óbvio é o caminho mais rápido para o sucesso mas, ao mesmo tempo, escapa aos olhos da maioria das pessoas. Com vários exemplos vemos como é fácil construir raciocínios complexos, mas é nas soluções simples que há verdadeiro valor. O óbvio é simples, mas demanda grande esforço para ser encontrado.

Por fim, temos uma espécie de guia para testar se a solução que encontramos é realmente óbvia e como treinar a nossa capacidade de identificar o óbvio nos problemas que enfrentamos.

Cinco maneiras de testar o óbvio

– A solução óbvia é simples, depois que for descoberta
O óbvio parece oculto de todos até que seja revelado. Neste momento, todos ficam com a sensação de “como é que não pensei nisso antes?”

– O óbvio é compatível com a natureza humana
A natureza humana é simples e, assim, toda solução óbvia deve ser capaz de apelar à pessoa comum, sem necessidade de sofisticações ou rodeios

– O óbvio é simples de ser explicado e colocado no papel
Devemos ser capazes de expressar uma ideia em poucas palavras ou não estamos diante de algo óbvio

– O óbvio surpreende as pessoas
As boas ideias tem uma capacidade de iluminar e surpreender as pessoas pela sua originalidade

– O óbvio tem o seu momento
As ideias tem um momento. De nada adianta uma ideia brilhante que seja aplicada antes ou depois da janela de oportunidade

Cinco caminhos para reconhecer o óbvio

– Não ser contaminado pela maneira como as coisas sempre foram feitas
É tentador seguir as rotinas que existem e buscar algum aprimoramento, mas o óbvio exige um olhar original. Busque olhar para os problemas a partir do zero, como se fosse a primeira pessoa a enfrentar o desafio

– Inverter a lógica das coisas
Se algo é feito de determinada maneira por muito tempo, inverter as premissas pode abrir a mente para aquilo que é realmente necessário

– Buscar a opinião do público
Se a minha ideia é direcionada para um público específico, por que não perguntar a ele o que acha?

– Procurar o que passa despercebido
Há oportunidades de aperfeiçoamento por toda parte. O que ninguém mais viu?

– Identificar as necessidades específicas de cada caso
Quais são os desejos que não foram atendidos ainda? Como posso fazer para?

Eu tenho certeza que ao acompanhar a história de Adam você vai se lembrar de diversas situações na sua vida e no mundo em que o óbvio fez a diferença. Mais importante ainda, o que é óbvio e estamos deixando passar?

A leitura vale muito a pena!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: