Meta literária de Janeiro de 2020

E mais um novo ano chegou e não podia faltar uma nova meta literária né?!?!

Para este mês, eu  estabeleci como objetivo a finalização e início de duas leituras do Projeto Reeducação do Imaginário, bem como uma leitura curtinha, mas bem filosófica:

A finalização do primeiro livro do projeto: Como dito no post referente às metas literárias de Dezembro, um dos livros escolhidos foi Crime e Castigo, que terá resenha em breve no blog. É o meu primeiro contato com a literatura russa e fiquei feliz por ter escolhido este autor com uma genialidade e fluidez tão ímpar como Fiódor Dostoiévski:

Capa do livro publicado pela Editora Martin Claret

O início do segundo livro do projeto: Continuando a meta de leitura de livros clássicos, o próximo da lista será Coração das Trevas, de Joseph Conrad. Estou namorando faz tempo a edição publicada pela Editora Antofágica em 2019, vamos ver se eu consigo adquiri-la (#viralogofaturadocartãodecrédito):

Capa do livro publicado pelo Editora Antofágica

E, uma leitura filosófica: Como para este ano eu quero mais leituras ricas em ensinamentos, eu escolhi o livro Metamorfose de Franz Kafka, que será lido no Kindle (presentão de Natal do maridão!), através da edição publicada pela Penguin Companhia:

Capa do livro publicado pela Penguin Companhia

E aí, você já estabeleceu a sua meta literária deste mês? 

Já leu algum destes livros?

Deixa o seu comentário por aqui!

Um grande beijo e até o próximo post!!

Projeto “Reeducação do Imaginário”

Um novo ano já está aí na nossa porta e com ele novos sonhos, novos projetos e recomeços!

Para mim, um dos projetos de leitura que eu pensei para o ano de 2020 foi inspirado no maravilhoso trabalho do Juiz Márcio Umberto Bragaglia da Vara Criminal de Joaçaba – Santa Catarina denominado “Reeducação do Imaginário”. (a entrevista é longa, mas vale muito a pena!!!)

Tal projeto tem como instrumento o uso da leitura de seletos livros (lista abaixo), acompanhados de dicionários, para a remição da pena dos presos em até 4 dias por cada obra lida.

Com exceção dos presos temporários, tal projeto se aplica aos demais apenados que se inscrevem no programa de forma voluntária. 

Os livros são adquiridos através de acordos firmados com o Ministério Público que revertem a pena a infratores que cometeram crimes de menor potencial ofensivo, no qual é determinado a compra de uma quantidade dos livros abaixo mencionados.

Além do mais, a proposta é uma tentativa corajosa de incentivar o uso deste poderoso instrumento, que é o livro, para ajudar na formação do caráter ou até mesmo na ressocialização desses indivíduos:

 A seleção das obras se dá, (…), com base no encadeamento de temáticas relevantes aos objetivos do projeto: culpa e arrependimento, escolhas e consequências, responsabilidade pessoal, aprimoramento da percepção (inclusive de questões transcendentais), reflexão sobre a dor e sofrimento causado e suportado, fardos, preço e valor da liberdade. (Márcio Umberto Bragaglia, Mídia sem Máscara, 2013)

O que é mais cativante neste projeto e o que o torna digno de divulgação é o fato de não bastar somente o preso ler o que lhe é determinado, mas também entender e saber explicar o que foi compreendido com a leitura.

Ademais, para que ocorra a remição da pena, é necessário a realização de entrevistas feitas no presídio pelo Juiz,  por seus assistentes e acompanhadas de perto pelo Ministério Público, OAB e Defensoria Pública. 

Logo, me inspirando neste trabalho ímpar e exemplar, eu tracei como meta a leitura dos livros indicados pelo Juiz Marcio Bragaglia, sendo estes:

Crime e Castigo – Fiódor Dostoiévski

Coração das Trevas – Joseph Conrad

Othello – William Shakespeare

Moby Dick – Herman Mellville

O Vermelho e o Negro – Stendhal

A Montanha Mágica – Thomas Mann

Paraíso Perdido – John Milton

Macbeth – William Shakespeare

A Morte de Ivan Ilitch – Leon Tolstói

O Senhor dos Anéis – J.R.R. Tokien

Grandes Esperanças – Charles Dickiens

Fahrenheit 451 – Ray Bradbury

Ficções – José Luis Borges

Dom Quixote – Miguel Cervantes

Os noivos – Alessandro Manzoni

Os anos de aprendizado de Wihelm Meister – Goethe

Contos completos – Flannery O’Connor

Os demônios – Fiódor Dostoiévski

Demian – Herman Hesse

O médico e o monstro – Robert Loius Stevenson

As crônicas de Nárnia – C.S. Lewis

Divina Comédia – Dante Alighieri

Confissões – Santo Agostinho

Diário de um pároco de aldeia – Georges Bernanos

O homem sem qualidades – Robert Musil

A estrada – Cormac MacCarthy

E com este post, eu me despeço de 2019 repleta de boas leituras feitas no decorrer deste ano e a espera de 2020 com mais livros surpreendentes e capazes de mudar a forma que enxergamos o mundo!!

Quer ter como meta literária algum destes livros? 

Já leu algum livro desta lista e quer compartilhar a sua experiência? 

Deixe o seu comentário!!!


Um grande beijo e até o primeiro de muitos posts do ano que vem!!

Um Cântico de Natal e outras histórias

Ah…o Natal…Amo esta época do ano, pois as pessoas ficam mais gentis umas com as outras, representa um período de união e renovação da nossa fé, independente da crença, e renovação da fé em nós mesmos, pois mesmo no final de mais um ano, nós recarregamos as nossas energias, fazemos um balanço de nossas metas cumpridas ou não, e nos enchemos de esperanças para o começo de mais um ciclo!!

E nada melhor do que ler histórias que representam tudo isso e muito mais, como este maravilhoso livro de contos escritos por Charles Dickens e publicado com primor pela editora Martin Claret neste ano!

O livro possui uma apresentação escrita por Sandra Sirangelo Maggio, professora de literatura inglesa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, que nos conta em detalhes sobre a vida pessoal de Charles Dickens e sobre a escrita do autor.

Ademais, traz em seu bojo um dos mais famosos contos do escritor que é “Um Conto de Natal ou Um Cântico de Natal” e outros contos menos conhecidos, mas ricos em ensinamentos e reflexões sobre esta época do ano que são:

Festas de Natal: Um conto bem curtinho que retrata muito bem a reunião familiar tanto na ceia de Natal quanto o almoço do dia 25 na casa dos avós.

A história dos duendes que raptaram um coveiro: conta a história de um coveiro que não gosta do Natal e por conta disso, ele é raptado por um grupo de duendes que o questionam e mostram para ele o verdadeiro significado desta data.

Um cântico de Natal: O meu conto favorito desde o filme “Os fantasmas de Scrooge” produzido pela Disney e lançado em 2009:

Imagens – Disney Pictures

Narra a história de Ebenezer Scrooge, um senhor ranzinza, avarento e que odeia o Natal, mas que, nesta época do ano recebe a visita de três fantasmas que o farão refletir e rever o seu conceito acerca deste dia tão especial!!

Os contos abaixo, eu não consegui lê-los, mas já fica como meta para Dezembro de 2020:

Um episódio de natal de “O relógio do Senhor Humphrey”

O homem possessivo e o pacto com o fantasma

Uma árvore de Natal

O que é o Natal quando ficamos velhos

Os sete viajantes pobres

Como eu havia dito anteriormente, a Editora Martin Claret arrasou na edição deste livro que foi pensado com muita delicadeza e com muito respeito a temática de Natal:

Capa do livro
Contracapa do livro
A edição de Natal mais fofa que eu já vi!!

Cumpre ainda salientar que, o livro conta com várias ilustrações, e particularmente em “ Cântico de Natal”, os desenhos foram feitos  pelo inglês John Leech:

Ilustração de “Um Cântico de Natal” feita por John Leech

Por fim, eu desejo a todos um Natal repleto de harmonia, união, felicidade e de muita festa com todos os seus amigos e familiares!!

Caso você queira adquirir este livro e ajudar o blog a crescer, compre por este link: https://amzn.to/2VZFVxW


Um grande beijo e até o  último post do ano!!

Retrospectiva literária de 2019

No post de hoje, eu compartilho com vocês as minhas leituras e livros favoritos do ano:

Janeiro – “A louca dos romances de época”

  1. A soma de todos os beijos – Série “O quarteto Smythe-Smith” – Julia Quinn
  2. Quando a Bela domou a Fera – Série “Contos de Fadas” – Eloisa James

Fevereiro – A continuação de “A louca dos romances de época”

  1. Uma dama fora dos padrões –  Série “Os Rokesbys” – Julia Quinn
  2. Um marido de faz de conta – Série “Os Rokesbys” – Julia Quinn
  3. Para Sir Phillip, com amor – Série “Os Bridgertons” – Julia Quinn
  4. Um estranho irresistível – Série “Os Ravenels”- Lisa Kleypas

Março – Temporada do Kindle Unlimited 

PS: Li estes livros, sendo que três são Contos, mas não gostei de nenhum e logo em seguida cancelei a assinatura : (

  1. No divã – Ane Pimentel
  2. Seu desejo é uma ordem (Conto) – Mari Lima
  3. Toda sua (Conto) – Mari Lima
  4. Brincando com fogo (Conto) – Mari Lima
  5. Melissa – Betânia Vicente

Abril e Maio

Não me recordo do motivo pelo qual eu não fiz nenhuma leitura nestes meses.

Junho – Leitura de suspense e, claro, romance de época

  1. A paciente silenciosa – Alex Michaelides –  UM DOS FAVORITOS DO ANO!
  2. Um casamento conveniente – Tessa Dare
  3. A garota do lago – Charlie Donlea

Julho – Ainda na vibe do suspense

  1. Deixada para trás – Charlie Donlea

Agosto – O retorno triunfal de “A louca dos romances de época” 

  1. Segredos de uma noite de verão – Série “As Quatros Estações do Amor” – Lisa Kleypas
  2. Era uma vez no outono – Série “As Quatros Estações do Amor” – Lisa Kleypas
  3. Pecados no inverno – Série “As Quatros Estações do Amor” – Lisa Kleypas
  4. Escândalos na primavera – Série “As Quatros Estações do Amor” – Lisa Kleypas
  5. Um cavalheiro a bordo –  Série “Os Rokesbys” – Julia Quinn

Setembro – Mesclei leitura de romance de época com romance contemporâneo

  1. A dama mais apaixonada – Julia Quinn/Eloisa James/Connie Brockway
  2. Teto para dois – Beth O’Leary – UM DOS FAVORITOS DO ANO!

Outubro – Mês que marca o início do blog It’s life e leitura temática de Halloween!!!

  1. Leve-me com você – Catherine Ryan HydeUM DOS FAVORITOS DO ANO!
  2. Coraline – Neil GaimanUM DOS FAVORITOS DO ANO!
  3. Minha vida fora dos trilhos – Claire Vanderpool

Novembro – Conclusão de Trilogia “Como eu era antes de você”

  1. Depois de você – Jojo Moyes
  2. Ainda sou eu – Jojo Moyes

Dezembro – Metas literárias e leitura temática de Natal!!!

  1. Em algum lugar nas estrelas – Claire Vanderpool
  2. Um cântico de Natal e outras histórias – Charles Dickens (em breve resenha no blog)
  3. Crime e Castigo – Fiódor Dostoiéviski (leitura iniciada em Dezembro e com conclusão em Janeiro de 2020 com post aqui no blog!!)

Você fez a leitura de algum destes livros?? 

Quais foram os seus livros favoritos do ano?? 

Compartilha conosco nos comentários!!

Um grande beijo e até o próximo post!!

Em Algum Lugar nas Estrelas

Autora: Claire Vanderpool

Título original: Navigating Early

Ano de publicação no Brasil: 2016

Editora: Darkside Books – Selo Darklove

Link da sinopse do livro: https://www.darksidebooks.com.br/em-algum-lugar-nas-estrelas/p

Como foi dito no post passado, este mês eu tinha como meta a finalização da leitura de Em Algum Lugar nas Estrelas. 

Confesso que, apesar da história ser muito bonita, não foi uma leitura fácil para ser concluída, pois acredito que não era o meu momento como leitora.

É o segundo livro que eu leio da autora Claire Vanderpool (o primeiro foi Minha vida fora dos trilhos), e assim como este livro, que traz em seu bojo o universo infanto-juvenil, Em Algum Lugar nas Estrelas, nos conta a história de dois meninos Early Auden e Jack Backer, à princípio, os dois são completamente diferentes e no decorrer da narrativa você percebe que mesmo com as diferenças, os dois possuem muita coisa em comum.

Early Auden, um dos nossos protagonistas possui a Síndrome de Asperge, mas mesmo com este diagnóstico, ele é genial, fascinado por matemática, principalmente pelo número Pi, e com um ótimo gosto musical (de Mozart a Billie Holiday, somente em dias chuvosos, por favor…kkk):

Cronograma musical de Early Auden
Verso do cronograma musical

Com relação a Jack Backer, é um menino que acabou de perder a mãe e o pai é um Oficial da Marinha. Deslocado na nova escola, encontra em Early um refúgio que se transforma em uma verdadeira amizade.

A história narra a aventura em um recesso escolar, no qual os outros alunos voltam para casa e somente estes dois garotos ficam na escola, oportunidade em que aproveitam para sair em busca de Pi, bem como em busca de respostas para suas próprias questões pessoais.

Sobre o Pi, se você acha que eu estou falando do número 3,14, sim, você acertou, mas este número não é um simples número para Early Auden, mas um menino que sai de sua aldeia em uma jornada de descoberta e merecimento de seu próprio nome (o nome é Polaris, mas é apelidado de Pi).

Ademais, o livro possui outros personagens como piratas, uma senhora de cem anos esperando pelo filho, um norueguês enorme, mas muito gentil, um lenhador solitário e a grande Ursa da Trilha Apalache. 

Sobre a edição, como não me canso de falar, a Editora Darkside arrasou na produção deste livro, tanto por dentro quanto por fora: 

Capa do livro com estrelas em verniz

Contracapa do livro
Cada capítulo possui uma constelação

No final, há uma nota da autora, na qual ela conta no que se baseou para escrever este livro, informando o que foi realidade e o que foi ficção.

Por fim, é uma história que fala sobre aprender a lidar com a perda, sobre amizade verdadeira,  sobre amadurecimento durante a jornada e, principalmente:

 Se em algum momento de nossas vidas mesmo que a gente se sinta perdido, nós podemos olhar para as estrelas, pois elas sempre nos mostrarão o caminho de volta para casa.


Caso você queira adquirir este livro e ajudar o blog a crescer, compre por este link: https://amzn.to/2WoQ0nb

Um grande beijo e até o próximo post!!!

Meta literária de Dezembro

E o fim do ano chegou e com ele uma nova meta literária!!

Para este mês, eu  estabeleci como objetivo:

A finalização de uma leitura que iniciei em Novembro: No mês passado eu iniciei a leitura do livro Em Algum lugar nas Estrelas, da autora Claire Vanderpool (tem resenha de outro livro dela aqui no blog), publicado pela Editora Darkside.

Tive alguns contratempos em concluí-lo, mas a edição é tão linda e a história é muito bonita que vou fazer o possível para finalizá-la ainda em 2019 e divulgar a resenha aqui no blog para vocês:

Um livro natalino: O Natal é uma época do ano mágica para mim, razão pela qual, eu escolhi o livro Um Cântico de Natal e outras histórias, de Charles Dickens, publicado pela Editora Martin Claret, cuja aquisição se deu na Black Friday da Amazon deste ano:

E, por fim, um livro para o novo projeto aqui do blog: Estou muito ansiosa para divulgação deste projeto, que será em breve, mas posso falar que um dos livros é Crime e Castigo de Fiódor Dostoiévski.

A edição que eu possuo é um pouco antiga e foi publicada pela Martin Claret, mas a história, eu posso adiantar que é atemporal:

E aí, você já estabeleceu a sua meta literária deste mês? Se positivo, compartilha aqui conosco!!

Um grande beijo e até o próximo post!!



Editora Wish lança campanha no Catarse para publicação de obras raras da literatura fantástica no Brasil

A campanha de publicação para o Box Literatura Fantástica Rara fica aberta até 

08 de dezembro

Box especial

O aclamado e esperado “A Rainha do Ignoto” ganha nova edição completa no Brasil depois de anos desde seu último lançamento, em 2003. Escrita pela cearense Emília Freitas e publicada originalmente em 1899, a obra – pioneira da fantasia e ficção científica nacional – estava esgotada há anos em todas as livrarias, bibliotecas públicas e sebos virtuais.

O livro será lançado em um box de colecionador acompanhado do inédito “A Filha do Rei de Elfland”, fantasia escrita por Lord Dunsany em 1924, cujos direitos foram adquiridos com exclusividade pela Editora Wish. A obra é mundialmente conhecida por ter sido influenciadora de autores como Lovecraft, Tolkien, Neil Gaiman e Del Toro, e narra a história de um mundo fantasioso cheio de magia, bruxas e elfos. 

SOBRE O LIVRO – “A RAINHA DO IGNOTO”

“A Rainha do Ignoto” discorre sobre temas relacionados à alma feminina e à situação das mulheres na sociedade patriarcal, apresentando uma sociedade secreta de mulheres, hierarquicamente organizada em uma ilha, denominada Ilha do Nevoeiro, governada por uma Rainha que recrutava mulheres a partir do sofrimento vivenciado por elas no cotidiano.

Numa curiosa narrativa que lembra as velhas lendas, Emília Freitas recria o clima de mistério a beleza dos contos europeus.

O grande interesse do livro está na criação de uma utópica comunidade de mulheres, as chamadas  paladinas,  que fazem o bem e buscam ajudar aos perseguidos.

SOBRE A EDIÇÃO

O romance terá cerca de 400 páginas, e a história será acompanhada de um prefácio escrito por  Alexander Meireles da Silva,  professor associado da UFG, pesquisador de Literatura Fantástica e criador do canal  Fantasticursos; e posfácio de  Adrianna Alberti, pesquisadora e mestre em Letras pela UEMS.

SOBRE A AUTORA

Emília Freitas

Emília Freitas foi romancista, poeta e professora. Nascida em 1855, no interior do Ceará, viveu parte de sua vida em Fortaleza e Manaus, duas cidades que influenciaram a construção da ambientação em suas obras.

Participou ativamente dos movimentos sociais da época, colaborando em periódicos abolicionistas e fazendo parte da Sociedade das Cearenses Libertadoras – uma associação feminina em prol da abolição da escravidão.

É considerada a autora pioneira da literatura fantástica brasileira com a obra “A Rainha do Ignoto”, que mistura fantasia, ficção científica e um pouco do terror vitoriano.

 SOBRE O LIVRO – “A FILHA DO REI DE ELFLAND”

O estilo poético e a grandeza arrebatadora de “A Filha do Rei de Elfland” o tornaram um dos romances de fantasia mais amados do nosso tempo, uma obra-prima que influenciou alguns dos maiores fantasistas contemporâneos. 

Na história, o Senhor de Erl descobre que seu povo gostaria de ser governado por um mestre mágico. Obedecendo aos costumes, o Senhor envia seu filho, Alveric, para encontrar a filha do Rei de Elfland, Lirazel, e torná-la sua esposa.

Alveric parte em sua busca com a ajuda da bruxa Ziroonderell. Mas assim como muitas noivas mágicas do folclore, Lirazel não se adapta à realidade humana e retorna a Elfland; e Alveric, apaixonado, tenta mais uma vez encontrá-la.

A história comovente do casamento entre um homem mortal e uma princesa elfa é uma tapeçaria magistral do conto de fadas que segue o “felizes para sempre”.

SOBRE A EDIÇÃO

A edição terá aproximadamente 260 páginas, com tradução de  Cláudia Mello Belhassof, tradutora de “Enraizados”, “Doctor Who” e “Bela Distração”, entre outros; e prefácio de  Enéias Tavares, professor de Literatura Clássica na UFSM e diretor do Centro de Pesquisas  William Blake.

SOBRE O AUTOR

Edward John Moreton Drax Plunkett

Edward John Moreton Drax Plunkett, 18º Barão de Dunsany, foi um escritor e dramaturgo anglo-irlandês, notável por seu trabalho em fantasia publicado sob o nome de Lord Dunsany.

Mais de oitenta livros de seu trabalho foram publicados, e sua obra inclui centenas de contos, além de peças, romances e ensaios de sucesso.

Nascido em um dos títulos mais antigos do grupo irlandês, ele viveu grande parte de sua vida na casa mais habitada da Irlanda, talvez o Castelo Dunsany, perto de Tara, e recebeu um doutorado honorário do Trinity College. 

COMO FUNCIONA O FINANCIAMENTO COLETIVO 

Para apoiar a Editora Wish a resgatar essas obras clássicas, você pode participar do financiamento coletivo através do link catarse.me/boxfantasias.

Trata-se de uma ferramenta segura pois, caso a campanha não atinja a meta, o valor é devolvido aos leitores. 

A Wish já teve a oportunidade de publicar 7 títulos entregues por financiamento coletivo, e a participação dos leitores é essencial e muito reconhecida.

Os apoios ao projeto vão de R$ 15,00 a R$ 900,00, que poderá ser pago através de cartão ou boleto bancário após a conclusão do cadastro no site e  cada apoio recebe uma recompensa especial, a partir de Março de 2020: 

Para R$ 15,00 ou mais: Você recebe na sua casa um kit de marcadores dos dois livros, mais metas estendidas impressas (exemplo: postais) e seu nome no agradecimento dos livros;

Para R$ 48,00 ou mais: Você recebe em sua casa o livro “A Rainha do Ignoto” ou “A Filha do Rei Elfland”, marcador do respectivo livro, brindes exclusivos, seu nome no agradecimento dos livros e frete nacional incluso;

Para R$ 82,00 ou mais: Você recebe em sua casa o box especial com os dois livros, os marcadores de cada livro, seu nome no agradecimento dos livros, brindes exclusivos e frete nacional  incluso;

Para R$ 130,00 ou mais: Você recebe em sua casa 02 (dois) box especiais com os dois livros, 02 (dois) marcadores, sendo 01 (um) de cada livro, 01 (um) aviso de porta estilo Art Nouveau, seu nome no agradecimento nos livros, brindes exclusivos e frete nacional  incluso;

Para R$ 160,00 ou mais: Você recebe em sua casa 02 (dois) box especiais com os dois livros, 04 (quatro) marcadores, sendo 02 (dois) de cada livro, 02 (dois) avisos de porta estilo Art Nouveau, 01 (uma) bag de algodão, seu nome no agradecimento nos livros, brindes exclusivos e frete nacional  incluso;

Para R$ 320,00 ou mais: Você recebe em sua casa 05 (cinco) box especiais com os dois livros, 10 (dez) marcadores, sendo 05 (cinco) de cada livro, 05 (cinco) avisos de porta estilo Art Nouveau, logo da sua empresa nas última páginas do livro “A Rainha do Ignoto”+ frase descritiva + site/link/instagram, brindes exclusivos e frete nacional custeado parcialmente pela Editora Wish devido a forma de envio dos produtos (PAC);

Para R$ 390,00 ou mais: Você recebe em sua casa 05 (cinco) box especiais com os dois livros, 10 (dez) marcadores, sendo 05 (cinco) de cada livro, 05 (cinco) avisos de porta estilo Art Nouveau, seu nome no agradecimento nos livros, brindes exclusivos e frete nacional  incluso;

Para R$ 900,00 ou mais: Você recebe em sua casa 15 (quinze) box especiais com os dois livros, 30 (trinta) marcadores, sendo 15 (quinze) de cada livro,15 (quinze) avisos de porta estilo Art Nouveau, 05 (cinco) de bag de algodão, uma página completa da sua empresa nas últimas páginas do livro “A Rainha do Ignoto” + logo + descrição de até 400 caracteres da empresa + site/link/instagram + design conjunto com a Editora Wish para que o projeto gráfico seja mantido em todo o livro e brindes exclusivos;

Espero que tenham gostado deste post especial e apoiem este projeto incentivador da Editora Wish!!

Um grande beijo e até o próximo post!!

Sobre a trilogia “O Senhor dos Anéis”

Capa dos filmes da trilogia “O Senhor dos Anéis”

Durante o feriado da Proclamação da República, eu e meu marido assistimos a trilogia O Senhor dos Anéis.

Para mim, a experiência foi de rever os filmes que eu assisti assim que estrearam no cinema (2001 a 2003). Já para o meu marido, a experiência foi um pouco diferente, tendo em vista que ele leu os livros aos 13 anos e só assistiu aos filmes comigo durante o feriado.

Ao rever os filmes, a forma que eu via a história foi completamente diferente. Afinal, eu tinha 13 anos quando o primeiro filme estreou.

Nesta idade, eu assisti admirando somente o universo fantástico, criado brilhantemente por Tolkien, através de seus personagens e lugares mágicos.

Hoje com 31 anos, eu visualizei este mesmo universo fantástico como uma metáfora da nossa vida.

A metáfora é cristalina em diversos elementos da história:

Como no caso dos Hobbits que representam a inocência, ingenuidade e curiosidade; 

A relação “pais e filhos” dos personagens mais velhos com relação aos mais novos. Na qual, podemos ver como somos suscetíveis a falhas, erros, acertos e medos na forma de educar os nossos filhos;

A questão da fé, presente e ausente, nos personagens e como tal elemento foi o divisor de águas no final da jornada de cada um.

O próprio anel que simboliza o poder, a cobiça, a ganância que existe dentro de todos nós e a capacidade de tal sentimento se sobrepor a outros e a forma que o mesmo age em cada ser humano, como é o caso dos personagens Gollum/Smeagol e Frodo Bolseiro;

E o fim da jornada dos Hobbits, na qual durante toda a trajetória tinham medo de não voltarem a ver o Condado em que moravam, mas que ao retornarem, eles se depararam com um lugar que continuava o mesmo, mas eles já não eram mais os mesmos.

E este é o grande segredo da vida, como as experiências, boas ou não, são capazes de nos modificar, de nos fazer enxergar a vida com outros olhos ou por uma nova perspectiva.

Por fim, este é o tipo de história que é tão densa, tão profunda e com a capacidade de ser atemporal (foi escrita entre 1937 e 1949), que vale a pena de se ter na estante e guardada em nossa mente e em nosso coração.

“Há algo de bom neste mundo e vale a pena lutar por isso.” (Samwise Gamgee)

Caso você tenha interesse em adquirir a trilogia e ajudar o blog a crescer, compre por este link: https://amzn.to/3c3oNwT

Um grande beijo a todos e até o próximo post!!

Trilogia Como eu era antes de você

Editora Intrínseca, Jojo Moyes, Como eu era antes de você, Depois de Você, Ainda sou eu
Capa dos livros da trilogia

Semana passada, eu finalmente conclui esta trilogia que, em um todo, foi maravilhosa!!!

Ao ler “Como eu era antes de você”, eu me deparei com uma Louisa Clark acomodada, que namorava a anos o mesmo cara, e você notava que era por puro comodismo de ambas as partes, que trabalhava em um café na sua cidade natal, e você conseguia perceber que não tinha futuro nenhum e que para ela a vida estava boa o suficiente. 

Até que a sua vida tem uma reviravolta com o fechamento do café e a nossa querida protagonista tem que sair um pouco da sua zona de conforto para encontrar um novo emprego.

E é nesta oportunidade, que ela conhece Will Traynor, um advogado que sofre um acidente e fica tetraplégico. O começo entre eles foi terrível, o Will era um pé no saco com a Lou, mas quando eles começam a se entender, Meu Deus, muito amor por esse casal!! 

Acho que foi o casal que eu mais gostei em um livro, devido a química e a ironia fascinante do Will.  Além do mais foi o casal que eu mais torci para ficar junto, logo, dá para imaginar o quanto eu ri no decorrer da leitura e o quanto eu chorei no final deste livro né?!?

Já com “Depois de você”, eu vivenciei o luto com a Lou, fiquei brava com ela pelo fato de voltar a fazer as mesmas coisas de antes (como trabalhar em um café, por exemplo) e não conseguir seguir em frente. 

Gostei dos novos personagens, principalmente do Sam, o paramédico que socorreu a Lou após um acidente (isso acontece no início do livro, então, eu acho que não é bem um spoiler), mas mesmo assim senti falta do Will, principalmente da química entre eles.

Apesar de alguns pontos da narrativa que eu não gostei tanto, eu entendia perfeitamente a dor que ela sentia, o fato de não conseguir ver a vida por outra perspectiva principalmente quando a pessoa que a gente ama se vai.

Todavia, estes detalhes não me impediram de continuar com a leitura da trilogia e iniciar o último livro intitulado “Ainda sou eu”.

Aqui, nós temos uma Lou um pouco mais segura de si e que resolve ir para Nova York trabalhar na casa de uma família muito rica e cheia de segredos.

No que tange a este livro, eu gostei da narrativa, gostei dos questionamentos, sendo o principal “Quem é Louisa Clark?” (este questionamento será respondido no decorrer da história e eu gostei da resposta!!).

Também tive muita raiva da família para a qual ela foi trabalhar, do Sam (sim…ele foi um fofo no segundo livro, mas dá uma mancada bem grande com a Lou!!!) e de mais alguns personagens que eu não posso contar muito sem dar spoilers. 

Eu senti uma saudade enorme de Nova York, principalmente de Manhattan, que eu  tive a oportunidade de conhecer e me encantar no final de 2014!!

Biblioteca Pública de Nova York – Dezembro de 2014

Para concluir esta resenha, eu não tenho como negar que o melhor livro de toda a trilogia para mim é o “Como eu era antes de você”, mas recomendo a leitura de “Depois de você” e “Ainda sou eu” que nos presentou com um final lindo para a nossa protagonista favorita!!

PS: Sim, esta que vos escreve também chorou horrores vendo o filme “Como eu era antes de você”, no qual a Emilie Clark está sensacional no papel da nossa Lou!!!

Trecho do livro “Como eu era antes de você”

Caso você queira comprar os livros da trilogia e ajudar o blog a crescer, compre por estes links:

Como eu era antes de você: https://amzn.to/2KUrgxM

Depois de você: https://amzn.to/35swEBE

Ainda sou eu: https://amzn.to/2VZ5X4t

Caso você leia a trilogia, depois corre aqui e me conta o que achou!!


Um grande beijo a todos e até o próximo post!!!

Minha vida fora dos trilhos

Autora: Claire Vanderpool

Título original: Moon over Manifest

Ano de publicação no Brasil: 2017

Editora: Darkside Books

Link da sinopse do livro: https://www.darksidebooks.com.br/minha-vida-fora-dos-trilhos/p

Este livro faz parte do selo Darklove, que publica livros escritos por mulheres com muita história para contar e com a incrível capacidade de aquecer os nossos corações!

Ao escolher uma nova leitura, eu sempre levo em consideração a sua sinopse e a capa. No caso da Editora Darkside, ela preenche estes dois requisitos com o seu trabalho de edição impecável e uma sinopse capaz de mostrar um livro repleto de reflexões e ensinamentos:

Capa do livro e cartão postal


Contracapa
Mais detalhes da edição

Em Minha vida fora dos trilhos, o título da sinopse Às vezes precisamos descer do trem para seguir adiante, convida o leitor a se fazer os seguintes questionamentos: O sentido de seguir adiante é abandonar o velho em busca de algo novo ou algo a mais? É o arriscar ou se permitir olhar a vida por uma nova perspectiva?

É com base nestas perguntas que se  baseia a história do livro, tendo como tema principal a imigração que é desenvolvida através dos seus personagens (eu sei que parece muito personagem, mas no decorrer da leitura você percebe que cada um deles tem seu papel fundamental na narrativa):

Abilene Tucker: uma menina de 12 anos que é enviada pelo pai Gideon para a cidade de Manifest (Kansas) no verão de 1936, enquanto ele ficará trabalhando na construção de uma estrada de ferro em outra cidade.

Shaddy: Dono de um bar e pastor de uma Igreja estabelecida no mesmo local. É quem acolhe Abilene em sua chegada a Manifest, tendo em vista o vínculo que possui com o pai da menina, Gideon. É um dos personagens que aparece tanto no ano de 1917 e 1918 quanto no ano de 1936.

Ruthane e Lettie: primas, amigas de Abilene e cúmplices na aventura para descobrir quem é a pessoa que adota o codinome “Cascavel”.

Sta. Sadie: Uma vidente húngara e proprietária do Caminho da Perdição (casa de vidência). É através dela que a história é contada à Abilene no ano de 1917 e 1918.

Hattie Mae: Repórter  e responsável pela coluna “Suplementos de Notícias da Hattie Mae”, no jornal Manifest Herald desde de 1917.

Irmã Redempta: responsável por lecionar as crianças de Manifest e ajudar os demais moradores da cidade. 

Jinx e Ned: Protagonistas da história no período de 1917/1918. Amigos que se separam quando Ned se alista para as Forças Armadas e parte para a 1ª Guerra Mundial.

Devido aos dois períodos temporais (1917/1918 e 1936) que o livro possui, ele aborda com riqueza alguns temas históricos como:

 – A existência do Ku Klux Klan na cidade de Manifest e do repúdio do grupo por negros e imigrantes (Leitura complementar sobre o tema: https://www.historiadomundo.com.br/curiosidades/ku-klux-klan.htm);

– A vida dos soldados durante a 1ª Guerra Mundial, através de cartas escritas pelo Ned e endereçadas a Jinx:

Carta de Ned para Jinx

 – A Lei Seca nos EUA, através do bar do Saddy (Leitura complementar sobre o tema: https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/historia-america/lei-seca-dos-eua.htm);

 – O regime análogo à escravidão que os imigrantes se sujeitam em minas de carvão.

Apesar dos temas delicados em vários pontos que o livro traz em seu bojo, a autora conseguiu narrar esta história de uma forma sensível e através dos olhos de uma menina aventureira e corajosa.

Ademais, não tive como não lembrar dos meus avós ao ler este livro, pois eles também eram imigrantes, que abandonaram tudo em Portugal para tentar uma nova vida e um futuro melhor aqui no Brasil. 

Recordo as histórias de luta e de coragem deles para construírem sua casa, educarem seus filhos e a saudade da família no outro lado do oceano.

Alguns pontos importantes para serem ressaltados com relação à edição:

-Os capítulos do livros são intercalados em fatos que ocorreram em 1917/1918 e no presente de  1936.

-O capítulo que retrata os anos de 1917/1918 possui uma fonte diferente de letra, a fim de ajudar o leitor a se situar em que ano se passa a história:

Fonte de um dos capítulos de 1917/1918
Fonte dos capítulos de 1936

Este livro apresenta uma nota da autora muito interessante e enriquecedora, pois ela aborda a sua inspiração para a criação dos personagens e da cidade fictícia de Manifest.

Por fim, eu recomendo a leitura deste livro pura e simplesmente por causa da história que é muito emocionante, real e atual, mesmo que seja narrada no início do século passado:

Porém, o que a mulher húngara disse os fez reconhecer de repente algo especial uns nos outros. Eles tinham o mesmo sangue. Sangue de imigrante.

Caso você tenha gostado deste livro e queira ajudar o blog a crescer, compre por este link aqui: https://amzn.to/3c8D8sc

Um grande beijo e até o próximo post!!

%d blogueiros gostam disto: